Por que ter qualidade na soldagem?

Compartilhe:Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone

No início do século XX, mais precisamente em 1904, a solda como parte de processos de fabricação foi criada oficialmente a partir da invenção do eletrodo revestido por Oscar Kjellberg. Ao longo do tempo, inúmeras aplicações e processos de união de materiais em escala atômica foram desenvolvidos com base na inovação tecnológica e demandas do mercado. Abrangendo a cadeia automotiva, o setor de óleo e gás, a fabricação e recuperação de peças, equipamentos e estruturas, a soldagem se consolida hoje como principal etapa em quase todos os segmentos industriais. No entanto, pouco mais de 100 anos após sua criação, a área passa, em nível mundial, por uma revisão de sua gestão da qualidade, enfrentando desafios como melhorar cada vez mais as propriedades da solda, facilitar a execução da tarefa para o soldador, aplicar normas de qualidade e, não menos importante, qualificar os profissionais nas diversas categorias – desde o soldador até o engenheiro de soldagem.

De acordo com a norma NBR ISO 9000 para sistemas de qualidade, a soldagem é um processo especial que, dependendo da complexidade e responsabilidade da construção soldada, requer métodos de controle (abrangendo as atividades de projeto, de seleção dos materiais, de fabricação e de inspeção) a fim de garantir que a qualidade especificada seja atingida. Em outras palavras, isso significa que não é possível assegurar que o processo de solda seja satisfatório apenas pelo controle do produto final. Exige-se acompanhamento posterior ao pós-venda, desenvolvimento e aprimoramento de equipamentos e métodos de monitoramento, além da simplificação e segurança das etapas de soldagem para o próprio soldador.

Por conta dessas especificidades, o setor conta com diversas normas (como a ISO 14731:2006) que orientam os requisitos da qualidade para a soldagem, mas com o foco apenas na construção final. A padronização mais completa até o momento, quando o assunto é gestão da qualidade, é contemplada na ISO 3834:2005. Esta norma amplia requerimentos de qualidade para soldagem por fusão de materiais metálicos e define controles sobre todos os aspectos da operação, definindo tarefas, níveis de preocupação dos processos, responsabilidades, conhecimentos requeridos para os profissionais, documentação de material, incluindo análise de parâmetros operacionais do processo (como tensão, corrente, velocidade de alimentação etc.). Entretanto, a norma ISO 3834:2005 ainda é pouco conhecida e utilizada no Brasil. A Kemppi, por sua vez, lançou ao mercado grandes novidades como o sistema modular Kemppi Arc System 3, o gerenciador de soldagem ArcQuality e o validador ArcValidator.