Dicas para construir um ambiente de trabalho seguro

Compartilhe:Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on LinkedIn0Email this to someone

Uma das coisas mais importantes no ambiente de trabalho é a segurança. Não somente no pátio fábril, mas em todas as áreas de uma organização. A implementação de medidas de segurança não deve ser uma ação meramente gerencial (vinda de cima para baixo). A ação deve envolver todos os colaboradores (soldadores, inclusive) e incentivá-los a cultivar o hábito da realização de operação de soldagem segura (tanto com o treinamento quanto com o uso adequado dos equipamentos de proteção individual “EPI” e equipamentos de proteção coletiva “EPC”). Esta estratégia melhora a aceitação dos EPI/EPC, por parte dos funcionários, e reduz os custos e o tempo de operação. Fundamentalmente, a segurança dos funcionários deve ser sempre uma prioridade na empresa.

Considerando os processos fabris, ressalta-se que duas operações de soldagem não, necessariamente, terão as mesmas necessidades (peculiaridades), uma vez que os equipamentos, processos e habilidades soldador variam. Portanto, também se alteram os requisitos de segurança da empresa para cada operação realizada.

Neste enfoque, um ambiente seguro pode ajudar a atrair e reter soldadores qualificados, o que é extremamente importante considerando uma possível escassez de soldadores.

Fizemos um levantamento e citamos aqui três simples etapas que você pode utilizar na sua empresa, visando a melhoria na segurança do ambiente fabril, tornando-o mais limpo e confortável para o funcionário desempenhar seu trabalho. Veja abaixo:

MIG
Etapa 1 – Avaliação dos riscos
Segurança exige planejamento e avaliações periódicas dos riscos para descobrir áreas problemáticas (críticas) dentro das instalações. Esta avaliação deve incluir funcionários e, potencialmente, um especialista em Segurança do Trabalho. Deve ainda incentivar os gestores e os soldadores a  prestarem mais atenção nos detalhes de segurança que, de outra forma, passariam despercebidos.

Em complemento à Etapa 1, a Occupational Safety and Health Administration (OSHA) fornece norte para a avaliação e abordagem dos riscos de segurança. Neste caso, a hierarquia consiste em quatro itens:
a) Mudança ou ajustes do processo de soldagem para ajudar a melhorar a segurança do ambiente de trabalho;
b) Controle de engenharia (por exemplo, controle de fumos);
c) Práticas de trabalho (operação) a partir da organização do fluxo nas células de soldagem e da adoção de política de qualidade (por exemplo, 5S);
d) Correta seleção dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI) – uso de um nível adequado de proteção do trabalhador.

Etapa 2 – Treinamento
Sempre comunicar a toda a equipe as alterações implementadas, como resultado de avaliações de risco, e, a partir desta ação, fornecer treinamento aos funcionários.

Etapa 3 – Comunicação
Socializar para toda a equipe todas as observações, alterações e melhorias. Promover periódicas discussões de segurança, incentivando o envolvimento dos trabalhadores (fortalecimento das relações na organização).

 

Feito isso temos certeza de que a segurança no ambiente de trabalho estará mais eficaz do que nunca.

Fonte: Site da Soldagem